Sobre o evento

O III Simpósio Internacional promovido pelo Laboratório de Estudos sobre Conflito, Cidadania e Segurança Pública (LAESP) tem por objetivo debater as relações entre mobilidade urbana, mobilidade social e os mecanismos de promoção de segurança e justiça. Desta forma, olha comparativamente para as dimensões do espaço público, da segurança, das desigualdades e quais significados podem adquirir a Cidadania em diferentes sociedades.

Serão realizadas mesas de debates com conferencistas, bem como Grupos de Trabalhos embalados por trabalhos de natureza empírica, focados no acompanhamento do cotidiano de segmentos populacionais ou profissionais nestas regiões. O objetivo será estabelecer diálogos que possibilitem refletir sobre similaridades e, sobretudo, contrastes envolvendo as transformações recentes na organização do espaço público urbano de regiões do chamado Sul-Global, entendido aqui como uma referência àquelas sociedades nas quais existem contextos interconexos histórica e sociologicamente entre colonialismo, neocolonialismo e outras construções sociais responsáveis por grandes assimetrias de direitos e acesso a recursos materiais e simbólicos.

O evento terá como propósito contribuir com as reflexões sobre o entrelaçamento ou a concorrência entre si de políticas voltadas para a mobilidade dos sujeitos nos espaços urbanos e peri-urbanos; perspectivas contemporâneas de vigilância e controle dos comportamentos e ações, de forma a possibilitar ou mitigar modos específicos de circularidades, sociabilidades e encontros, incidindo sobre as expectativas de mobilidade social dos sujeitos.

Colocar-se-á em perspectiva, assim, as continuidades e descontinuidades, bem como ciclicidades, recorrências e intercorrências envolvendo discursos, práticas, tecnologias, normas, decisões políticas, entre outros elementos que possam concorrer para a configuração do que denominamos dinâmicas de circularidades nestas sociedades. Estas últimas são entendidas como dispositivos formados pelo conjunto de movimentos materiais e simbólicos dos indivíduos, executados com vistas à consecução de seus interesses; os circuitos de mobilidade urbana e periurbanas frequentados pelos diferentes públicos envolvidos em seus deslocamentos; o conjunto de políticas orientadas ao “desenvolvimento” das cidades e regiões contíguas, cujos efeitos incidem diretamente sobre as condições de possibilidade para "mobilidade" dos sujeitos, em perspectiva ampla e seus objetos, e, finalmente, as circularidades dos discursos em meio as aparentes ciclicidades das crises e disposições discursivas que as informam, configurando as conjunturas políticas e econômicas.

Comissão Organizadora

Lenin dos Santos Pires, Elizabete Albernaz, Marilha Garau, Marcus Cardinelli, Ludmila Rodrigues Antunes, Gabriel Borges, Rômulo Labronici, Hugo Virgílio de Oliveira, Carolina Krugel, Ana Carolina Leite, Carina Cardoso, Guilherme Sines, Luiz Thompson, Páris Barbosa, Paula Pimenta e Rodrigo Raimundo. 

Sobre o LAESP

O Laboratório de Estudos sobre Conflito, Cidadania e Segurança Pública é um núcleo de pesquisas criado em 2012 no âmbito do Departamento de Segurança Pública da Universidade Federal Fluminense (DSP/UFF) e a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia, o Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (INCT-InEAC), uma rede nacional e internacional de pesquisas sediada na UFF desde 2009. Na época o DSP integrava a Faculdade de Direito daquela universidade. Em 2017, porém, o Conselho Universitário da UFF (CUV) criou o Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (IAC), tendo a unidade acadêmica o mesmo nome da rede criada em 2009. Tratou-se, assim, do reconhecimento da universidade à excelência dos esforços da rede INCT-InEAC acima referida. 

O núcleo reúne pesquisadores doutores e doutorandos, mestres e mestrandos, graduados, graduandos e estudantes de segundo grau que participam de seus projetos. Realiza pesquisas de natureza interdisciplinar, orientando a construção de suas abordagens a partir de estudos empíricos e comparados, por contraste. Privilegia a realização de etnografias, o que significa que os dados são construídos com os interlocutores da pesquisa e não sobre eles. Outras técnicas das ciências humanas sociais também compõem o mosaico de abordagens e análises sócio-antropológicas e jurídicas. Vinculam-se ao LAESP os profissionais que se interessem pelos temas relacionados aos conflitos, cidadania e segurança pública, destacando os esforços por compreender o que chamamos de “dinâmicas de circularidade”. Estas últimas referem as configurações e arquiteturas políticas - formais e informais - responsáveis por promover ou obliterar as circulações de sujeitos sociais e objetos numa sociedade. No nosso entender tais dinâmicas instituem mercados e distintas práticas voltadas para administrar conflitos que emergem em seu interior. Igualmente, possibilitam formas de exercício da política, com as quais se veiculam sensos de justiça variados.